Dos estereótipos

Ela era uma mulher de quinta.
Ria alto e tinha um olhar atento para o ordinário.
Costumava usar frases: curtas; chamativas; inapropriadas;
para logo publicá-las na sexta.

Das observações

Tenho uma saliência no meio da testa que permeia o limite estético entre um galo e uma espinha.
Fiquei pensando qual linha visual deveria assumir caso me perguntassem: – o que é isso na sua testa?
E conclui que nenhuma das duas me serviriam visto que: não sou jovem para erupções adolescentes e estou velha demais para ficar batendo a cabeça.

Das crises

Aos 25: preciso aproveitar que ainda tenho tempo para errar
e provar coisas novas.
Aos 50: levo desde os 25 errando, já não tenho muito tempo
pra provar coisas novas.

Das leituras

Tenho uma amiga que fala como se escreve.
Ela diz: Todavia, Entretanto, Contudo;
enquanto me conta coisas.
Mas o melhor é quando ela coloca aspas no que diz;
seus dedos dançam no ar fazendo flexões.
Minha amiga que fala como se escreve: virou texto.